Guillermo Arias / AFP
Guillermo Arias / AFP

Pentágono deixará de comprar caças para financiar muro de Trump

Segundo documentos entregues ao Congresso, Defesa abrirá mão de vários aviões F-35 e drones para desbloquear US$ 3,8 bilhões adicionais para o muro que o presidente quer construir na fronteira com o México

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2020 | 16h02

WASHINGTON - O Pentágono vai abrir mão da compra de vários caças F-35 e drones para desbloquear US$ 3,8 bilhões (R$ 16,50 bilhões) adicionais para o muro que o presidente Donald Trump quer erguer na fronteira com o México, segundo documentos entregues nesta quinta-feira, 13, ao Congresso.

Esse fundo inclui US$ 2,2 bilhões do orçamento do Pentágono para 2020 que havia sido alocado para a compra de equipamentos para a US Air Force e US Navy, de acordo com os documentos consultados pela agência France-Presse.

O valor restante vem de fundos inicialmente previstos para as operações externas das forças armadas americanas (Afeganistão, Síria, Iraque).

Com o acréscimo do Pentágono, o valor destinado ao projeto defendido pelo presidente americano desde sua campanha eleitoral chega a US$ 9,9 bilhões (R$ 39 bilhões), desde que o Departamento de Defesa dos EUA aprovou fundos para a construção do muro na fronteira com o México em julho do ano passado.  

O orçamento do Pentágono, que supera os US$ 700 bilhões  ao ano, está relacionado a projetos e programas estritamente definidos pelo Congresso.

Entre os equipamentos que não serão comprados por causa do direcionamento do valor disponibilizado pelo Pentágono para o projeto de Trump, segundo documentos entregues pelo Congresso, estão os F-35, os drones armados MQ-9 Reaper, os aviões de carga C-130J e os aviões de reconhecimento marítimo Poseidon P-8. 

Quase 1 milhão de imigrantes foram detidos na fronteira sul dos Estados Unidos durante o ano fiscal de 2019, terminado em setembro, quase o dobro do registrado no ano anterior./AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.