Pentágono desiste de criar mercado futuro do terror

O Pentágono abandonará seu plano para estabelecer um mercado de futuros para ajudar a prever ataques terroristas, informa o presidente da Comissão das Forças Armadas do Senado americano. O senador John Warner disse ter falado por telefone com o diretor do programa, ?e concordamos que essa coisa deve ser detida?. Warner anunciou a decisão pouco depois de o líder democrata no Senado, Thomas Daschle, ter usado a tribuna para denunciar a idéia como ?um incentivo para que atos terroristas sejam realmente cometidos?. O plano previa um mercado de futuros no qual especuladores apostariam, via internet, na probabilidade de um ataque terrorista ou de uma tentativa de assassinato contra determinado líder. Um site sobre o assunto já está disponível. Quando o plano veio a público, revelado por dois senadores democratas na segunda-feira, o Pentágono defendeu a idéia como um meio de ganhar informação sobre planos terroristas em potencial. O programa é chamado ?Policy Analysis Market? (Mercado de Análise de Políticas). O escritório do Pentágono que supervisiona a implantação, a Agência de Projetos Avançados de Pesquisa em Defesa (DARPA, na sigla em inglês), disse que o plano era parte de um esforço ?para investigar o conjunto mais amplo possível de novas formas de evitar ataques?. Warner, um republicano, disse que iria recomendar ao Pentágono que não gastasse a verba já alocada ao programa, e que o projeto seria desativado em definitivo nas negociações da Comissão Mista de Orçamento, mais para o fim do ano.

Agencia Estado,

29 Julho 2003 | 13h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.