Pentágono diz não tem planos de ação com Irã no Iraque

O Pentágono afirmou nesta segunda-feira que não tem intenção de realizar uma ação militar coordenada com o Irã ou suas forças militares para a crise no Iraque, posição que parece diferente na comparação com comentários anteriores feitos pelo secretário de Estado John Kerry.

Agência Estado

16 de junho de 2014 | 15h44

Em entrevista que foi ao ar nesta segunda-feira, Kerry disse que os Estados Unidos estavam abertos para conversações com o Irã a respeito da crise no Iraque e que ele não descartava a possibilidade de uma cooperação militar entre os dois antigos adversários.

Horas mais tarde, o almirante John Kirby, porta-voz do Pentágono, disse que os Estados Unidos podem discutir a crise no Iraque com autoridades iranianas, mas que lideres militares norte-americanos não trabalhariam com homólogos iranianos ou realizariam uma resposta coordenada para combater militantes sunitas que tomaram boa parte do norte do Iraque.

"Não há absolutamente qualquer intenção, nenhum plano para coordenar atividades militares entre Estados Unidos e Irã", afirmou o almirante Kirby, acrescentando que o Pentágono concordou que seria apropriado realizar conversações às margens nas negociações sobre o programa nuclear iraniano, em Viena.

Kerry deu a entender, em entrevista concedida ao Yahoo! News, que conversações entre Estado Unidos e Irã eram prováveis.

A respeito de uma possível cooperação militar, ele disse que "eu não desconsideraria nada que seja construtivo para fornecer a estabilidade verdadeira, o respeito à Constituição (iraquiana), o respeito ao processo eleitoral e o respeito à capacidade do povo iraquiano de formar um governo que represente todos os interesses do Iraque, não de um grupo sectário ou de outro".

Um graduado funcionário do governo disse que não há diferença entre o que Kerry e o Pentágono disseram.

O almirante Kirby disse que os Estados Unidos discutiram questões ligadas ao Afeganistão e outros temas de segurança regional com o Irã no passado, mas que as discussões sobre o Iraque serão limitadas. "Não existem planos para consultar o Irã sobre atividades militares no Iraque", afirmou Kirby. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
EUAIraquePentágonoIrã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.