AP Photo/Andrew Harnik
AP Photo/Andrew Harnik

Tiroteio deixa ao menos um morto nos arredores da sede do Pentágono

Repórter da Associated Press perto do prédio ouviu vários tiros, depois uma pausa e, em seguida, pelo menos um tiro adicional

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2021 | 12h39
Atualizado 03 de agosto de 2021 | 15h37

Ao menos uma pessoa morreu em um tiroteio nos arredores do Pentágono, sede do Departamento de Estado dos Estados Unidos,  nesta terça-feira, 3. O local tinha sido isolado, depois que vários tiros foram disparados em uma plataforma de ônibus perto da estação de metrô da instalação. Pelo menos uma pessoa estava caída, de acordo com duas pessoas familiarizadas com o tiroteio, que falaram sob condição de anonimato por não estarem autorizadas a divulgar informações publicamente. 

De acordo com o veículo de impresa russo RT, relatos não confirmados no local do incidente apontam que várias pessoas, incluindo um policial, ficaram feridas após tiros.

O incidente ocorreu em uma plataforma de ônibus do metrô que faz parte do Pentagon Transit Center, tuitou a Agência da Força de Proteção do Pentágono. A instalação fica a poucos passos do prédio do Pentágono.

Um repórter da Associated Press perto do prédio ouviu vários tiros, depois uma pausa e, em seguida, pelo menos um tiro adicional. Outro jornalista da agência americana ouviu a polícia gritando "atirador". De acordo com um funcionário de relações públicas do gabinete do Secretário de Defesa, uma mensagem foi lida no sistema de alto-falantes do Pentágono por volta das 10h45 (11h45 em Brasília) afirmando que havia ocorrido "um tiroteio na área de ônibus do metrô" e instruindo os funcionários a "ficarem no prédio até novo aviso."

O anúncio foi seguido por um alerta enviado a todos os terminais de computador do Pentágono cerca de 15 minutos depois reiterando a mesma informação a todos os funcionários. A segurança do prédio é fornecida pela Agência de Proteção da Força do Pentágono.

Pouco depois 12h10 (13h10 em Brasília), a Agência da Força de Proteção do Pentágono informou que o prédio foi reaberto, mas a estação de metrô e uma faixa da via permaneceram bloqueados.

A entrada do metrô do Pentágono foi atacada anteriormente em março de 2010, quando John Patrick Bedell puxou duas armas semiautomáticas de 9 mm e começou a atirar no posto de controle de segurança perto da entrada da estação de metrô do Pentágono, ferindo dois policiais. Bedell foi baleado e morto por oficiais de segurança./ AP e NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.