Pentágono não confirma morte de líder da Al-Qaeda

O chefe do Pentágono, secretário da Defesa Donald Rumsfeld, disse não ter condições de confirmar a notícia de que seis supostos membros da Al-Qaeda, entre eles um representante de alto nível da organização, sejam os mortos na explosão ocorrida hoje no Iêmen.Rumsfeld acrescentou que esperava que fosse verdadeira a notícia da morte de Ali Qaed Sinan al-Harthi, conhecido como Abu Ali, considerado pelos Estados Unidos como um dos suspeitos do ataque de outubro de 2000 ao destróier americano USS Cole nas águas do porto de Áden, em que morreram 17 fuzileiros navais dos EUA.Para o secretário de Defesa americano, seria positivo ter certeza de que Abu Ali está morto. Os Estados Unidos enviaram meses atrás grupos especiais para colaborar com os investigadores iemenitas na captura de integrantes da Al-Qaeda, os quais, segundo a inteligência americana, estariam atuando na península árabe.Notícias provenientes de meios de comunicação americanos indicam que os Estados Unidos teriam empregado no Iêmen, nas últimas semanas, aviões de reconhecimento sem piloto do tipo Predator.Tais aparatos permitiram individualizar e atacar objetivos considerados bases da Al-Qaeda ou dos talebans.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.