Pentágono preocupado com suicídios de soldados no Iraque

O índice de suicídio entre os militares americanos no Iraque tem sido um terço maior do que índices anteriores entre as tropas durante tempos de paz, afirmou o principal médico do Pentágono. Além disso, as Forças Armadas ainda têm cerca de 2.500 soldados esperando por tratamento médico nos EUA depois de terem retornado do exterior, disse William Winkenwerder, subsecretário de Defesa para Assuntos Médicos.O Pentágono está se preparando para um grande aumento deste número quando dezenas de milhares de homens voltarem para os EUA, depois de serem substituídos no Iraque, acrescentou.A questão dos suicídios tem preocupado tanto o Pentágono que o Exército enviou uma equipe de avaliação para o Iraque no final do ano passado, a fim de avaliar que mais poderia ser feito para evitar que soldados se matem. O Exército também começou a oferecer mais aconselhamento para tropas retornando aos EUA depois que vários soldados do Forte Bragg, na Carolina do Norte, mataram suas mulheres e se suicidaram depois de voltarem da guerra.O índice de suicídio entre os soldados servindo no Iraque é de cerca de 13.5 por 100.000, informou Winkenwerder. Durante tempos recentes de paz, o índice variava de 10.5 a 11 por 100.000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.