Pentágono reduzirá orçamento para terceirizados

O Pentágono vai cortar seu orçamento para terceirizados em 10% ao ano nos próximos três anos. O objetivo é economizar recursos e reduzir a "super dependência" militar em forças de fora de suas fileiras, afirmou ontem o secretário de Defesa Robert Gates.

AE-AP, COM DOW JONES, Agência Estado

10 de agosto de 2010 | 17h37

Ele também declarou que os funcionários terceirizados não serão mais automaticamente substituídos, o que representa um efetivo congelamento do crescimento da força de trabalho terceirizada, que chegou a 39% do total da força de trabalho do Departamento de Defesa.

"Tendo como base os dados disponíveis após um ano, não estou satisfeito com o progresso feito para reduzir nossa super dependência dos terceirizados", disse Gates, em conversa com jornalistas. "Dessa forma, para acelerar este processo e poupar mais recursos, ordenei a redução de recursos para serviços de apoio terceirizados em 10% ao ano pelos próximos três anos", disse.

Gates também disse que recomenda a eliminação de um importante comando militar como parte da redução dos custos militares. O anúncio é parte de um plano de economia de US$ 100 bilhões nos próximos cinco anos. Gates disse que o dinheiro é necessário em outros setores do Departamento de Defesa para retomar as forças assoladas por anos de guerra e para preparar tropas para a próxima luta.

Grandes cortes são essenciais, levando-se em consideração a situação econômica e a probabilidade de que o Congresso não vá mais conceder ao Pentágono os grandes aumentos de orçamento que vem dando desde o 11 de Setembro, avaliou Gates.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.