Pentágono treinará equipe para caso de surto de Ebola

Pentágono treinará equipe para caso de surto de Ebola

O Pentágono pretende treinar uma equipe de resposta composta por 30 pessoas para dar assistência a hospitais em caso de um surto do vírus do Ebola nos Estados Unidos, anunciaram autoridades neste domingo. O secretário de imprensa do Pentágono, John Kirby, disse se tratar de uma medida prudente, para assegurar que o Departamento de Defesa possa responder rapidamente a um surto doméstico, se necessário.

O Estado de S. Paulo

19 de outubro de 2014 | 18h29

O Comando do Norte dos Estados Unidos irá formar o time, que deve incluir 20 enfermeiras para cuidados críticos e cinco médicos especialistas em doenças infecciosas. Outras cinco pessoas irão orientar os quadros de funcionários dos hospitais sobre os métodos adequados para conter a contaminação.

A equipe, ainda não escolhida, será enviada para Fort Sam Houston, em San Antonio, para uma semana de treinamento sobre os mais recentes protocolos adotados para evitar que a doença se espalhe.

O anúncio do Pentágono segue-se a um encontro ontem à noite na Casa Branca entre representantes do primeiro escalão da segurança nacional e da saúde pública para discutir uma resposta ao vírus do Ebola.

O Pentágono já enviou forças do exército para a Libéria para dar assistência aos que enfrentam ao surto, um contingente que pode alcançar 4 mil homens. As tropas enviadas não trabalham diretamente com hospitais ou pacientes contaminados pelo Ebola.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.