Pepsi é condenada a indenizar empresa de bebidas chinesa

A Pepsi é culpada de usar o nome da outra companhia numa de suas campanhas

Agencia Estado

19 Junho 2007 | 11h05

A multinacional Pepsi deverá pagar uma indenização de três milhões de iuanes (US$ 390 mil) à companhia chinesa Lanye ("Tempestade Azul"), após uma longa batalha legal, informa neste sábado, 16, a imprensa estatal da China.Os juízes do Tribunal Provincial de Zhejiang, no leste do país, decidiram que a Pepsi é culpada de usar impropriamente o nome da outra companhia numa de suas campanhas publicitárias.Em 2005, a Pepsi lançou na China uma série de concursos, com o nome de "Tempestade Azul". A empresa ofereceu mais de 200 milhões de prêmios aos consumidores, a fim de promover suas vendas no mercado chinês.A Lanye iniciou as suas operações em 2003. Ela tem uma pequena engarrafadora, numa região montanhosa de Zhejiang, e produz refrigerantes, água mineral e cerveja, entre outras bebidas.Liang Yonghua, diretor da Lanye, se queixou de que, devido à fama de Pepsi, muitos consumidores acharam que era a marca chinesa que estava infringindo as leis de propriedade intelectual, copiando o slogan da multinacional.De fato, em 2005 o escritório de supervisão e qualidade provincial abriu uma investigação sobre a Lanye por suposta pirataria e falsificação. O órgão confiscou vários carregamentos de bebidas, causando graves prejuízos para a companhia.A vitória é um caso raro na China, onde o mais comum é o contrário, com grandes marcas internacionais denunciando produtores chineses por falsificar seus produtos ou utilizar suas marcas.Entre as companhias que ganharam processos por violação de propriedade intelectual na China estão Starbucks, Louis Vuitton, Gucci, Prada, Sony, Warner Music e EMI.A farmacêutica Pfizer, porém, não conseguiu que um tribunal reconhecesse a falsificação de sua marca "Viagra" na China. Laboratórios chineses continuam produzindo de remédios muito semelhantes à famosa pílula azul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.