Pequim amanhece coberta de areia do deserto

A cidade de Pequim amanheceu hoje completamente coberta de areia vinda dos desertos. O fenômeno trouxe de volta à discussão problemas como a poluição da capital e a desertificação do norte do país."É como se o deserto tivesse chegado a Pequim na noite passada", disse à agência Xinhua um morador da capital, onde carros, edifícios e ruas foram cobertos por uma camada amarelada.Uma forte tempestade de areia castigou no sábado passado a região da fronteira entre a China e a Mongólia, cerca de 500 quilômetros ao norte de Pequim. A areia flutuou pela atmosfera até chegar à capital chinesa.A imagem de hoje é surpreendente porque, embora a cidade já tenha sido castigada por tempestades de areia em outras ocasiões, há anos o fenômeno não era tão intenso. Além disso, segundo os meteorologistas, os ventos que trouxeram a areia não foram tão fortes. Ela chegou discretamente, quase de surpresa. Segundo Wang Xiaoming, do escritório ambiental municipal de Pequim, as partículas no ar são de 0,1 milímetro, 10 vezes maiores que o pó habitual.O nível de poluição no ar hoje vai chegar à cota 5, considerada"de risco". As autoridades deverão recomendar aos cidadãos que não façam exercícios fora de casa, especialmente as crianças e os mais velhos. A sujeira no ar de Pequim, uma cidade permanentemente coberta de pó e muito seca, cria preocupações em relação aos Jogos Olímpicos de 2008. As autoridades chinesas têm adotado medidas para melhorar a qualidade do ar.Entre elas, o plantio de árvores na cidade e nos seus arredores,a mudança das fábricas mais poluentes da cidade para outros lugaresdo país, e campanhas de conscientização por "Jogos Verdes".Por enquanto, porém, a cor predominante na cidade não é o verde,e sim o amarelo. As lavadoras de carros vão lucrar esta semana. Nos primeiros três meses e meio deste ano houve somente 56 dias de céu azul e boas condições atmosféricas, 16 a menos que no ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.