Pequim anuncia onda de repressão à mídia

A dois meses da abertura do Congresso do Partido Comunista, que ocorre a cada cinco anos, a China anunciou um operação de repressão a ''''publicações proibidas, notícias sem fundamento e falsos jornalistas''''. O endurecimento da fiscalização coincidiu com a prisão de um jornalista, sentenciado a 1 ano no domingo por ter inventado a história de que os padeiros de Pequim usavam papelão em vez de massa para fazer bolinhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.