Pequim aperta cerco contra construção ilegal em prédio

Um magnata da área médica passou seis anos construindo o que parece ser o pico de uma montanha em cima de um prédio de 26 andares na capital da China, que ganhou o apelido de "a estrutura ilegal mais ultrajante". Agora, as autoridades deram a ele 15 dias para derrubá-la.

Agência Estado

13 de agosto de 2013 | 12h21

O complexo abriga cômodos, rochas, árvores e plantas e se tornou o mais recente símbolo do desrespeito à lei entre os ricos, assim como a crescente prática de construção ilegal de anexos em prédios.

Vizinhos dizem que reclamam há anos a respeito da construção de 800 metros quadrados, que afeta a integridade estrutural do prédio e seu sistema hidráulico, mas as autoridades locais não tomaram providências.

O funcionário da gestão urbana do distrito de Haidian, Dai Jun, disse nesta terça-feira que as autoridades vão derrubar a estrutura de dois andares em 15 dias, a menos que o proprietário faça isso ele mesmo ou apresente provas de que a construção foi legal.

O proprietário da construção foi identificado como o presidente de uma importante empresa que atua na área médica e ex-membro do organismo político consultivo do distrito, que mora no 26º andar. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaconstrução ilegalprédioPequim

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.