Pequim busca matéria- prima

O interesse chinês pelo continente africano começou a crescer no começo do século. Para alimentar a demanda por matérias-primas e manter seu crescimento econômico, Pequim aumentou drasticamente seus investimentos no continente - entre 2003 e 2011, cresceram de US$ 490 milhões para US$ 13 bilhões, em áreas como mineração, construção civil e turismo. Em contrapartida, 80% das exportações africanas para a China são de produtos primários.

O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2012 | 03h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.