Pequim critica embargo europeu ao petróleo do Irã

O governo chinês criticou ontem a imposição de sanções contra o Irã pela União Europeia e afirmou que "pressionar cegamente" o país não é uma estratégia "construtiva". A China é principal destino das exportações de petróleo da república islâmica e seu comportamento será relevante para a definição do impacto das medidas adotadas por europeus e americanos com o objetivo de forçar Teerã a abandonar seu programa nuclear.

O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2012 | 03h06

No início do mês, o secretário do Tesouro dos EUA, Tim Geithner, esteve na China para pedir apoio às sanções, mas não convenceu as autoridades de Pequim. Apesar de, por princípio, ser contra sanções, a China votou a favor de medidas contra o Irã aprovadas no Conselho de Segurança da ONU, do qual é membro permanente, mas resiste a dar seu aval a decisões adotadas unilateralmente. / CLÁUDIA TREVISAN, PEQUIM

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.