Pequim diz que represa pode causar catástrofe

Após negar reiteradamente as advertências de ecologistas, a China reconheceu pela primeira vez que a represa Três Gargantas - o maior projeto hidrelétrico do mundo - pode provocar uma ''''catástrofe'''' ambiental.Segundo a agência estatal Nova China, especialistas e funcionários do governo concordaram que o projeto, iniciado em 1993, pode causar um impacto ''''notadamente adverso'''' na área de 600 quilômetros quadrados que cerca a represa, com contaminação e deslizamentos de terra.''''Se não forem adotadas medidas drásticas de prevenção, o projeto pode levar a uma catástrofe'''', alertaram os participantes do encontro, que terminou na terça-feira em Wuhan, capital da província de Hebei. O ''''enorme peso'''' da água após a construção da represa começou a erodir as margens do Rio Yang-tsé em muitas partes, o que, junto com as freqüentes oscilações do nível hídrico, causou deslizamentos de terra. O projeto - um dos mais importantes do governo chinês - obrigou milhões de pessoas a se mudarem da área, destruiu relíquias culturais e contribuiu para a diminuição de espécies animais e vegetais.''''É um bom passo (o reconhecimento do governo), mas é preciso fazer investigações mais profundas sobre as mudanças que a construção da represa está provocando'''', afirmou Wang Yongcheng, da organização chinesa Voluntários Verdes.O analista explicou que nos últimos dois anos o Rio Yang-tsé e seus afluentes alcançaram seus níveis mais baixos, algo que ''''não pode ser atribuído apenas à mudança climática, mas também aos efeitos da represa''''.A hidrelétrica Três Gargantas, que tirou de Itaipu o posto de maior do mundo, já começou a gerar eletricidade e estará totalmente concluída em 2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.