, O Estado de S.Paulo

23 de março de 2011 | 00h00

O governo chinês desmentiu ontem as acusações de que estaria bloqueando o acesso ao Gmail, o serviço de e-mail do Google, em meio à intensificação do controle da internet por causa dos temores de que os levantes no Oriente Médio possam se alastrar pela China. "Não aceitamos tais acusações", afirmou o Ministério de Relações Exteriores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.