Pequim pede explicações a Tóquio sobre morte de chinês

Pequim manifestou sua "grande preocupação" ao Governo do Japão e pediu a investigação da morte de um cidadão chinês nesse país após ter resistido à prisão pela Polícia japonesa, informou hoje a agência oficial "Xinhua". O fato ocorreu no último dia 23, quando dois cidadãos chineses foram detidos na cidade japonesa de Tochigi e, após uma pequena briga, um policial disparou contra um dos dois detidos no estômago, provocando sua morte.Segundo as informações iniciais, os dois cidadãos chineses tinham mostrado um comportamento "suspeito" que motivou a detenção, e inclusive tentaram se apropriar das armas dos policiais depois de serem presos.O Ministério de Assuntos Exteriores chinês enviou protestos formais pelo fato à embaixada japonesa em Pequim, enquanto a legação chinesa em Tóquio pediu às autoridades japonesas que a mantenham informada sobre as investigações, "para resolver de forma apropriada o caso".O incidente é uma mostra das tensas relações entre os Governos chinês e japonês, que faz com que qualquer incidente desse tipo acabe causando tensões diplomáticas. As relações entre os dois países estão abaladas desde 2001, ano no qual chegou ao poder o primeiro-ministro japonês Junichiro Koizumi, cujas visitas anuais ao santuário de Yasukuni, em Tóquio provocam grande insatisfação na China. O santuário presta homenagem aos japoneses mortos em combate em guerras dos séculos XIX e XX. As visitas de Koizumi incomodam Pequim porque nele também se homenageiam, entre outros, os militares japoneses da Segunda Guerra Mundial que foram classificados como criminosos de guerra pelos tribunais internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.