Pequim receberá antes carta do Papa aos católicos chineses

O Governo chinês receberá antecipadamente uma cópia da carta que o Papa Bento XVI enviará nas próximas semanas aos católicos chineses, em um gesto de cortesia de Roma, informou neste sábado o jornal "South China Morning Post".Segundo o cardeal de Hong Kong, Joseph Zen Ze-kiun, o avanço da carta "dará a Pequim tempo para assimilar os detalhes e preparar sua reação", mas não "a oportunidade para negociar mudanças no conteúdo da carta".A carta, que foi anunciada em janeiro passado, já está redigida em italiano e, quando as traduções ao mandarim e ao inglês estiverem terminadas, serão enviadas a Pequim cerca de cinco dias antes de sua divulgação geral, afirma o jornal.Embora seu conteúdo não tenha sido revelado, os analistas acham que enfatizará os poderes tradicionais da Igreja Católica, e se concentrará mais nos assuntos pastorais do que nos diplomáticos.Pequim manifestou que aguarda "com muito interesse" a carta, mas reiterou que, para o restabelecimento das relações, Roma deve romper seus laços com Taiwan e comprometer-se a não interferir nos "assuntos internos" chineses, entre eles, a nomeação de bispos."Embora Pequim vá ficar descontente com alguns pontos, a carta do Santo Padre trará estabilidade e reconciliação à Igreja, o que está alinhado ao desejo de Pequim de conseguir a harmonia social", disse ao jornal de Hong Kong uma fonte próxima às conversas entre China e o Vaticano, que pediu para não ser identificada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.