Pequim rejeita críticas dos EUA sobre direitos humanos

O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China, Hong Lei, considerou o relatório do Departamento de Estado norte-americano sobre direitos humanos no pais irresponsável e tendencioso.

AE, Agência Estado

25 Maio 2012 | 13h13

Hong disse aos jornalistas em Pequim que o capítulo sobre a China do relatório sobre direitos humanos do Departamento de Estado foi "infundado, tendencioso e completamente incorreto".

O relatório, divulgado na quinta-feira, diz que a situação dos direitos humanos na China se deteriorou em 2011, quando ocorreram mais atos agressivos para silenciar ativistas. "Na China, a situação dos direitos humanos se deteriorou, particularmente na questão da liberdade de expressão, reunião e associação", diz o documento norte-americano.

"O conteúdo relativo à China é repleto de preconceito, ignora fatos e confunde o certo e o errado...tal questão nunca deveria ser usada como ferramenta para atacar outros ou interferir nos assuntos internos de outros países", declarou Hong. Segundo ele, a China fez "notáveis progressos" na questão dos direitos humanos nos últimos 30 anos, período no qual milhões de pessoas saíram da pobreza e o país realizou vigorosas reformas econômicas.

O governo chinês costuma usar o aumento da riqueza de seus cidadãos para combater acusações de violações aos direitos humanos.

O relatório foi publicado pouco dias depois de o ativista cego Chen Guangcheng ter escapado da prisão domiciliar e buscado abrigo na embaixada norte-americana em Pequim. Chen embarcou no sábado para os Estados Unidos, onde vai estudar direito. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
China EUA direitos humanos relatório

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.