Perdido contato com navio de crianças

Um navio que viaja há três semanas pelo Golfo de Guiné, transportando cerca de 250 crianças que seriam vendidas como escravas para plantações de cacau e cana de açúcar, na África, não emite mais sinais nem responde a chamados. A capitania de Cotonou (Benin), por onde a embarcação passou na sexta-feira, não recebeu nenhum aviso de que haveria uma escala ali. O navio "Eriteno", de bandeira nigeriana, passou por Gabão e Camarões e não foi mais visto desde sexta-feira, quando, acreditava-se, zarparia de Benin. Desde sábado, organizações humanitárias, que preparavam primeiros-socorros para as crianças em Cotonou, temem pela vida das crianças.O capitão do barco, com medo de ser preso, poderia tentar se livrar de sua carga humana, dizem alguns. Além disso, após mais de duas semanas de viagem, as condições de vida dentro da embarcação são desastrosas, dizem jornalistas locais. Em Cotonou, os centros de recepção do governo e de organizações humanitárias como a Unicef estão prontos para resgatar e cuidar das crianças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.