Peregrinação de milhões de muçulmanos a Meca marca início do hajj

Cerca de 3,4 milhões de peregrinos deverão participar neste ano, segundo estimativas

AGÊNCIA ESTADO, Agência Estado

24 de outubro de 2012 | 15h21

MECA - Milhões de muçulmanos convergiram nesta quarta-feira, 24, para a cidade de Meca, na Arábia Saudita, em preparação para a peregrinação, ou hajj, considerada um dos cinco pilares da religião muçulmana.

 

Veja mais:

linkSíria aceita cessar-fogo durante feriado islâmico

link'Assad nunca cumpriu trégua proposta pela ONU'

blog JAMIL: Crise na Síria 'transborda' para Líbano

 

Cerca de 3,4 milhões de peregrinos deverão participar do hajj este ano até a Caaba, santuário mais sagrado do Islã, localizado no centro da grande mesquita de Meca. Milhares de peregrinos foram até o monte rochoso de Arafat para marcar uma noite de preces que precede o início do hajj na quinta-feira. Os muçulmanos acreditam que o ritual, que se estende até a segunda-feira, marca as passagens dos profetas Abraão, Ismael e Maomé.

A peregrinação deste ano ocorre no momento em que a guerra civil se intensifica na Síria, país majoritariamente habitado por muçulmanos, e o conflito ameaça se espalhar para a Turquia e o Líbano. Mais de 30 mil pessoas foram mortas na Síria desde março do ano passado. Pela primeira vez, as emissoras de televisão dos países de maioria muçulmana transmitem em detalhes uma guerra civil, com as fortes imagens dos bombardeios, dos corpos e da destruição entrando nas casas das pessoas.

 

O hajj também é uma das poucas ocasiões em que muçulmanos sunitas e xiitas rezam lado a lado. Os sunitas formam a corrente majoritária e mais antiga, que derivou dos quatro primeiros califas, enquanto os xiitas, ramo minoritário, acreditam que apenas os descendentes do profeta Maomé é que deveriam guiar o Islã.

 

A separação entre os dois ramos ocorreu após a batalha de Kerbala, no Iraque central, em 680 d.C. A peregrinação a Meca é considerada um dos cinco pilares da religião, que deve ser feita pelo menos uma vez na vida por todo muçulmano que tenha dinheiro e saúde para fazer a viagem.

As informações são da Associated Press

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.