Peregrinação do haj termina e polícia saudita prende suspeitos

A polícia saudita prendeusupostos militantes da Al Qaeda que teriam planos de atacardurante o ritual anual da peregrinação a Meca, informou a TV AlArabiya nesta sexta-feira, o último dia do haj. Fontes não-identificadas disseram ao canal que os suspeitospretendiam causar "confusão de segurança" durante aperegrinação do haj, da qual mais de 2 milhões de muçulmanosparticipam. Os suspeitos teriam sido presos em várias cidades do reinodias antes do início do haj, na segunda-feira. A Al Arabiya,que é de Dubai, mas pertence a sauditas, não informou quantossuspeitos foram detidos. Ao contrário de anos anteriores, em que houve incêndios,tumultos, desabamentos e confrontos com a polícia, desta vez aperegrinação transcorreu sem incidentes, sob um novo esquema desegurança. Uma fonte de segurança disse à Reuters que não houveatentados planejados na cidade sagrada de Meca ou em outroslugares da peregrinação. Na sexta-feira, os peregrinos fizeram o terceiro e últimoapedrejamento simbólico do demônio, em Mina, e regressaram aMeca para a última oração junto à Kaaba, o monólito para o qualos muçulmanos do mundo todo voltam suas preces. Em janeiro de 2006, pelo menos 362 pessoas morrerampisoteadas na Jamarat, o lugar dos três antigos "pilares" ondeesteve Maomé (hoje substituídos por longos muros sinuosos deconcreto), no pior acidente do haj em 16 anos. Neste ano, as autoridades concluíram uma obra deinfra-estrutura que dá mais conforto e segurança à enormequantidade de fiéis, a um custo de 1 bilhão de dólares. Agorahá três andares de instalações para acomodar os participantesdo ritual, e um quarto está em construção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.