Peres vai a Roma e não vê o papa

O frustrado encontro entre o chanceler de Israel, Shimon Peres, que está em visita a Roma, e o papa João Paulo II reforçou a especulação de um confronto nas relações entre o governo israelense e o Vaticano.Enquanto em Israel circulavam versões, segundo as quais Peres se reuniria com o Sumo Pontífice, em Roma, o chanceler disse: "Não estou em Roma para me reunir com o papa". Do lado da Santa Sé, informou-se que o encontro com o papa foi pedido na última hora e que o pontífice estava ocupado, e por isso se havia decidido que o chanceler seria recebido nesta quarta-feira, pelo secretário de Estado, o cardeal Angelo Sodano.Peres, que se entrevistou com as máximas autoridades italianas, não poderá comparecer a essa audiência por problemas em sua agenda. O chanceler israelense comentou que a tentativa de marcar um encontro no Vaticano havia sido um "erro técnico", porque não se prepara um encontro com o papa de um dia para outro. Segundo fontes oficiais, tratou-se de uma tentativa de aproveitar a viagem de Peres a Roma para uma reunião com João Paulo II, encontro que não estava previsto.Mas não faltou quem observasse que, apesar dos canais utilizados - a embaixada israelense e não a Chancelaria - e dos compromissos papais, esta é, talvez, a primeira vez que um episódio como este acontece na sede da Igreja Católica.Por isso veio à baila a frieza do Vaticano em relação ao governo do primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, e da forte discrepância entre o enfoque da Santa Sé e a atitude de Israel diante da intifada palestina. Também foi lembrado que Sharon autorizou o início dos trabalhos para reconstrução de uma mesquita junto à Basílica de Nazaré, o que foi visto como uma vontade do premier de fomentar a dissensão entre cristãos e muçulmanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.