Peretz restringe bombardeios da artilharia israelense em Gaza

O ministro da Defesa de Israel, Amir Peretz, mandou reduzir ao mínimo os bombardeios contra a Faixa de Gaza com artilharia, que a partir de agora precisarão de uma ordem especial do comandante-em-chefe da Região Militar. O motivo foi a tragédia de Beit Hanoun. Na quarta-feira, 18 civis palestinos, em sua maioria mulheres e crianças, morreram na localidade, atacada com sete projéteis de 155 milímetros da artilharia israelense. O caso convenceu Peretz da necessidade de recorrer a outros meios, informa nesta sexta-feira o jornal israelense Ha´aretz. O ministro ordenou ao Exército que a partir de agora qualquer bombardeio com a artilharia seja aprovado pelo comandante-em-chefe da Região Militar Sul, Yoav Galant, ou por oficiais superiores do Estado-Maior. A investigação do Exército revelou que a instalação de um cartão eletrônico defeituoso nos sistemas de orientação do canhão, cinco dias antes do bombardeio, foi a causa do desastre. O cartão alimentou o sistema da bateria com as coordenadas erradas, o que provocou o desvio de sete projéteis em direção a casas de civis, a cerca de 500 metros da pequena floresta que era o alvo da operação. O jornal informa que o sistema "Shilem" é usado há 30 anos, e pela primeira apresentou este defeito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.