Victoria Jones/PA via AP
Victoria Jones/PA via AP

Perfil: Autor do atentado em Londres tinha antecedentes criminais, mas nenhum ligado a terrorismo

Khalid Masood não era alvo de investigações ligadas a envolvimento com o extremismo, mas tinha várias condenações por agressão, posse de armas e perturbação da ordem pública

O Estado de S.Paulo

23 de março de 2017 | 16h36

LONDRES - O autor do atentado de Londres, Khalid Masood, de 52 anos, teve muitos problemas com a lei, mas até os 13 anos não se envolvia em confusão. Na quarta-feira 22, ele aterrorizou moradores e turistas de Londres com um carro e uma faca. Uma vizinha o descreveu como um "um homem amável", apesar da ficha policial.

Masood não era alvo de investigações ligadas a envolvimento com o extremismo, mas tinha várias condenações por agressão, posse de armas e perturbação da ordem pública.

Mas a primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou que ele havia sido investigado há anos, em uma certa ocasião, pelo MI5 (serviço de inteligência do país) por suspeitas de violência extremista, informação que não consta no comunicado da polícia.

May e a polícia não se referiram explicitamente a ele como um cidadão britânico, apesar de Masood ter nascido no Reino Unido e vivido grande parte de sua vida no país, como sugere sua ficha criminal.

Masood teve sua primeira condenação em novembro de 1983, quando tinha entre 19 e 20 anos, e a mais recente, por posse de arma leve, em dezembro de 2003. Desta vez, ele aparece envolvido em um ataque terrorista.

Iwona Romek, operária de uma fábrica localizada perto de uma das casas revistadas em Birmingham, mora ao lado de Masood e ficou chocada com o atentado que deixou quatro mortos, incluindo Masood, e 40 feridos.

"Estou muito abalada. Ele era de uma família amável, muito reservada. Ele era muito tranquilo", explicou Iwona, que mora no bairro há anos.

Masood e sua família se mudaram da região há alguns meses, segundo a vizinha. Mesmo assim, a polícia revistou sua antiga casa. "Era um cara gentil. Sempre o víamos no jardim. Nunca causou problemas", acrescentou.

O carro Hyundai que o agressor usou para ferir e matar pedestres na Ponte de Westminster foi alugado no estabelecimento Enterprise de Solihull, periferia de Birmingham, informou a empresa em um comunicado. Segundo a rede BBC, Masood alugou o carro pessoalmente e se apresentou como professor.

As diferentes versões que circularam na imprensa pouco depois de divulgado o nome do agressor diziam que ele morava com a mulher e uma filha pequena, mas algumas fontes citaram que ele teria no total três filhos. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.