Faith Ninivaggi/Reuters
Faith Ninivaggi/Reuters

Perfil: como Amy Klobuchar se tornou a grande surpresa da primária de New Hampshire

Depois de um decepcionante quinto lugar no caucus de Iowa, a senadora de Minnesota fez uma série de apostas no Estado do granito

Nick Corasaniti, The New York Times

13 de fevereiro de 2020 | 05h00

A senadora Amy Klobuchar sabia que poderia ter uma oportunidade nas primárias presidenciais de New Hampshire.

Como uma democrata fiscalmente moderada que se opõe ao "Medicare para todos" e aos planos de universidade gratuita de seus adversários liberais, Klobuchar estava em sincronia com a inclinação ao ‘governo mínimo’ da maioria dos democratas da região. 

Sua ênfase no bipartidarismo e no pragmatismo era atraente ao grande número de eleitores não-filiados, ou independentes, do Estado, que podiam participar das primárias democratas. E ela frequentemente mencionava seu apoio às duas senadoras centristas de New Hampshire, Jeanne Shaheen e Maggie Hassan.

Então, depois do caótico caucus de Iowa, em que seu quinto lugar pode ter descarrilado outros candidatos, Klobuchar fez uma série de apostas em New Hampshire, que se mostraram certeiras na noite de terça-feira, 11, quando ela conquistou um surpreendente terceiro lugar nas primárias. 

Embora ela agora tenha um enorme desafio pela frente - competir pelo apoio de eleitores hispânicos em Nevada e negros na Carolina do Sul, onde ela está muito atrasada nas pesquisas - o fato de Klobuchar ter uma chance foi causado por uma ‘onda’ de 11 horas. Geralmente, isso é o sonho dos candidatos.

A primeira aposta veio na semana passada. Com Klobuchar correndo apenas três pontos percentuais atrás do ex-vice-presidente Joe Biden nos resultados do caucus de Iowa, sua campanha viu espaço para crescer entre eleitores moderados e decidiu fretar um avião para trazer mais de 20 funcionários a New Hampshire, onde montaram uma corrida de seis dias furiosa. 

Essa medida quase dobrou a equipe de Klobuchar no Estado - uma operação relativamente pequena, mas com capacidade organizacional de capitalizar politicamente se a candidata avançasse com os eleitores.

Depois veio o debate de sexta à noite.

Com cerca de oito milhões de pessoas assistindo, Klobuchar desafiou rivais como Pete Buttigieg (“um novato legal”) e fez contrastes com seus rivais mais progressistas. Quando a maratona chegou ao fim, com a voz firme, ainda que infundida com a tensa exaustão de um democrata na era Trump, Klobuchar prometeu trazer compaixão à Casa Branca. 

"Há uma completa falta de empatia nesse cara na Casa Branca agora, e eu trarei isso para vocês", disse ela no palco em Manchester. "Se você tiver problemas para esticar seu salário para pagar o aluguel, eu lutarei por você."

Foi um "momento" verificável, com muitos analistas políticos chamando-o de uma das entregas mais memoráveis ​​do debate. A campanha foi bem-sucedida, movendo-se rapidamente na noite de sexta-feira para transformar a fala no slogan final de Klobuchar em New Hampshire. Em menos de 24 horas, após um esforço noturno para criar o anúncio, sua declaração estava no ar em New Hampshire. Horas depois, a campanha investiu quase US$ 250.000 no mercado de televisão de New Hampshire para os últimos dois dias, mais do que qualquer outro candidato, exceto Buttigieg.

O dinheiro começou a chegar - mais de US$ 5 milhões nos quatro primeiros dias após o debate. As multidões aumentaram muito além das expectativas e da capacidade local; salas lotadas tornaram-se um ‘problema positivo’ para os funcionários da campanha. E os voluntários, que antes pouco frequentavam em escritórios de campo pelo Estado, transformavam-se em um verdadeiro exército de batedores de portas e distribuidores de panfletos. 

“Enquanto haviam cédulas a serem contadas, nós vencemos as probabilidades a cada passo do caminho”, disse Klobuchar na noite de terça-feira, em um discurso repleto de otimismo, geralmente encontrado apenas em um vencedor de primárias.

Embora Klobuchar tenha passado meses adaptando sua candidatura presidencial aos eleitores do caucus de Iowa - um vizinho rural do Meio-Oeste que requer um discurso cheio de apelos ao interior do país -, New Hampshire sempre esteve mais propenso proporcionar um crescimento bem-sucedido da senadora de Minnesota.

As primárias do estado são um tanto abertas; os independentes podem votar, e o Estado permite o registro no mesmo dia. Mesmo com a sorte amarrada em Iowa, os principais assessores de Klobuchar começaram a encarar New Hampshire como um potencial ponto positivo. Os endossos de três dos quatro maiores jornais do estado mostraram aprovação local.

Assim, a campanha de Klobuchar começou a desviá-la para New Hampshire após quase todos os debates; ela fez uma turnê por 10 condados em 36 horas após o debate de novembro em Atlanta.

Embora seus desempenhos no debate fossem frequentemente bem vistos, ela raramente recebia um solavanco nacional. Mas seus assessores apontaram indícios de que os eleitores de New Hampshire estavam prestando atenção; eventos com 40 confirmados terminaram com aproximadamente 100 participantes. 

"Nós a vimos pela primeira vez em julho e gostamos muito dela, e por volta de setembro estávamos muito inclinados a isso", disse Mark Hodgdon, 60 anos, que mora em Epsom, NH, mas levou meia hora para comparecer a um evento em Manchester na terça-feira. "Ela aborda todas as questões liberais com as quais me preocupo, incluindo a reforma do financiamento de campanhas, mas suas abordagens são mais práticas".

Em sua mensagem final, quando criticou o Estado, Klobuchar começou a fazer apelos mais diretos a moderados e até a alguns republicanos. Sua campanha começou a visar cidades de New Hampshire que passaram do presidente Barack Obama para Donald Trump. Ela se sentou para uma entrevista com Bret Baier, da Fox News, na noite de segunda-feira, depois de falar em um almoço de sócios do Rotary Club de Nashua no início do dia.

“Eu também vi muita raiva, de pessoas que ficaram em casa em 2016, ou independentes ou republicanos que talvez tenham votado no presidente e agora estão se afastando e pensando: não sei se fiz a coisa certa”, Klobuchar disse no almoço, mais frequentemente uma parada de campanha para candidatos republicanos do que democratas. "Minha campanha sempre foi sobre alcançar e não fechar as pessoas, mas trazê-las comigo."

O apelo distinto e deliberado de Klobuchar ao espírito centrista pegou fogo com alguns ativistas de última hora.

JoAnne St. John, uma influente ativista democrata em Nashua que há muito apoiava o senador Cory Bookerde Nova Jersey, ainda estava à deriva e sem um candidato indo para o final da última semana.

"Fui a um comício de Buttigieg e, no final, disse: 'Acho que vou apoiá-lo'", disse ela em entrevista na terça-feira. "Mas eu quase relutantemente prometi a alguns dos meus democratas muito proficientes aqui em Nashua que iria ver Amy às três horas. E eu fiz, e estou feliz por fazer. Eu vi uma mulher com poder. Eu a vi muitas vezes antes, mas ela desenvolveu seu estilo. Eu apenas olhei para aquela mulher no palco e pensei: 'Ela pode fazer isso’”. (St. John votou em Klobuchar na terça-feira e passou a maior parte do dia incentivando outras pessoas a fazerem o mesmo).

Na trilha da campanha, Klobuchar creditou sinais de crescente apoio em New Hampshire ao fato de que ela realmente teve a chance de conversar com os eleitores daqui, em vez de ficar presa no Senado por um julgamento de impeachment, que a manteve longe de Iowa por semanas.

"Finalmente estou solta", disse ela aos apoiadores em Salem no domingo. "Fui a quatro lanchonetes hoje de manhã!"

Ela também acrescentou detalhes locais. No dia da eleição, ela comprou uma capa especial do The New Hampshire Union Leader, destacando seu apoio a ela. Em uma manifestação em Nashua - a maior de sua candidatura -, os voluntários haviam imprimido cópias dos endossos de jornais locais.

E em seus discursos, ela se referiu a assuntos locais que haviam passado batidos pelo radar de outros candidatos. Ela mencionou a importância do “transporte ferroviário para o sul de New Hampshire” em Nashua. Ela deu uma mensagem para Shaheen em Salem.

Embora seu terceiro lugar em New Hampshire tenha sido considerado uma vitória, sua campanha enfrenta uma batalha imediata e difícil. Os próximos dois estados, Nevada e Carolina do Sul, são muito mais diversos, e Klobuchar mostrou pouca força em pesquisas com eleitores negros e latinos. O mapa da Super Terça não é muito mais gentil; estados grandes e caros, como Texas e Califórnia, estarão votando, e será mais difícil para Klobuchar passar por lá.

Mas sua campanha está se expandindo agressivamente. Atualmente, ela tem 50 funcionários em Nevada e planeja ter funcionários de campanha em vários estados da Super Terça até sábado. A campanha também está iniciando uma compra de sete dígitos em Nevada, e ela tem eventos alinhados em Reno e Las Vegas.

Antes de deixar o palco em sua festa na noite de terça-feira, Klobuchar viu um futuro aberto por New Hampshire.

"Estamos tão empolgados que vamos levar esse show para a estrada com toda essa boa vontade de New Hampshire", disse Klobuchar. "O melhor ainda está por vir."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.