Perfis

Antanas Mockus

, O Estado de S.Paulo

23 Maio 2010 | 00h00

Candidato à presidência pelo Partido Verde (PV) acredita que negociar um acordo humanitário com as Farc poderia colocar em risco os ganhos da política linha-dura de Álvaro Uribe e "disparar o número de reféns". De centro-direita, é considerado um azarão. Foi duas vezes prefeito de Bogotá, de 1995 a 1997 (renunciou para concorrer à presidência) e de 2001 a 2004. Nesses períodos, Mockus adotou medidas heterodoxas para combater a violência e o caos urbano, entre elas o uso de mímicos no lugar dos guardas de trânsito. Excêntrico, mas com fama de honesto, costumava vestir-se de "Super-cidadão" para ensinar os habitantes da capital a jogar lixo no lixo e não pichar as ruas.

Juan Manuel Santos

Ex-ministro da Defesa do governo do presidente Álvaro Uribe e seu candidato à presidência. Ordenou o polêmico ataque contra o acampamento do porta-voz das Farc, Raúl Reyes, em território equatoriano, em 2008 - ação que quase provocou uma guerra com Quito e Caracas. É um dos mais ferozes inimigos da guerrilha e um grande crítico do presidente venezuelano, Hugo Chávez, que promete congelar o comércio bilateral se Santos vencer. Também foi ministro de Comércio Exterior do presidente César Gaviria (1990 - 1994) e ministro da Fazenda de Andrés Pastrana (1998 - 2002). Sua família era dona da revista "Cambio" e do jornal "El Tiempo", de Bogotá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.