Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Período de abstinência sexual exigido a homossexuais para doar sangue na França cairá para 4 meses

Decisão faz parte uma série de medidas para deixar de considerar a orientação sexual como um comportamento de risco de contaminação

EFE, O Estado de S.Paulo

17 de julho de 2019 | 07h48

PARIS - O período de abstinência sexual exigido a homossexuais para doar sangue na França será reduzido de um ano para quatro meses. A decisão passa a valer a partir de fevereiro de 2020 e faz parte uma série de medidas para deixar de considerar a orientação sexual como um comportamento de risco de contaminação pela Aids.

Homossexuais foram proibidos de doar sangue no país europeu em 1983 por conta do risco de contágio de Aids. Em 2016, essa proibição foi revogada. Em seu lugar, foi adotada a condição de que homossexuais estivessem há um ano sem ter relações sexuais no momento da doação. Podiam, também, doar plasma desde que tivessem feito sexo com apenas um parceiro nos quatro meses anteriores.

A análise de dados dos últimos anos concluíram que a permissão da doação de sangue a homens homossexuais não teve impacto no risco de transmissão do vírus HIV por transfusão de sangue.

Cerca de 1,7 milhão de pessoas doam sangue na França por ano. Em média, um milhão de pessoas são beneficiadas por essas doações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.