Perito da CIA dirá que não achou armas proibidas no Iraque

O perito encarregado pela CIA de supervisionar a busca das supostas armas de destruição em massas do Iraque, Daviv Kay, prepara um relatório preliminar no qual não apresentará nenhuma conclusão evidente, mas também não descartará a existência de tais armas. Essa informação foi dada pelo porta-voz da CIA, Bill Harlow. A emissora britânica de TV BBC destacou que o balanço assinalará que nenhuma arma de extermínio foi achada no país. Segundo o repórter Andrew Neil, do programa Daily Politics, o relatório conclui também ser altamente improvável que armas de destruição em massa tenham sido removidas do país para países como a Síria. A CIA informou que Kay apresentará em breve suas conclusões. Ele foi um dos inspetores de armas nucleares da ONU em 1991, logo após a Guerra do Golfo. "O dr. Kay ainda está recebendo informação do campo e este será apenas o primeiro relatório, um relatório prévio. Prevemos que ele não terá conclusões firmes, nem descartará nada", afirmou o porta-voz da CIA, Bill Harlow, acrescentando que ainda não foi decidido se esse texto será divulgado ao público. O chanceler britânico, Jack Straw, reagiu classificando a reportagem da BBC de "especulação sobre um esboço inacabado de um relatório preliminar". "Eu aguardo ansiosamente o relatório do sr. Kay, como também toda a comunidade internacional", afirmou em Nova York, onde representa seu país na Assembléia-Geral da ONU.

Agencia Estado,

24 Setembro 2003 | 19h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.