Arquivo/Reuters
Arquivo/Reuters

Perito do caso Nisman é encontrado morto em Buenos Aires

Osvaldo Raffo, responsável por um relatório que questionou a versão de suicídio, tinha 84 anos e foi achado por cuidadora

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2019 | 14h54

BUENOS AIRES - O médico legista Osvaldo Raffo, responsável por um relatório que questionou a versão de suicídio para o promotor público Alberto Nisman, foi encontrado morto nesta segunda-feira, 18, em sua casa em Buenos Aires, na Argentina, segundo o diário La Nación

Ao lado do corpo de Raffo, de 84 anos, foram encontrados um revólver e uma nota atribuída a ele na qual ele reclamava de “dores”. 

O caso será investigado pela promotora Fabiana Ruiz. O legista aposentado vivia sozinho, mas contava com a ajuda de uma cuidadora, que o encontrou já sem vida na banheira do apartamento.

O promotor Alberto Nisman foi encontrado morto no banheiro de sua residência de Buenos Aires com um tiro na cabeça em 18 de janeiro de 2015, quatro dias depois de ter apresentado uma denúncia contra a ex-presidente argentina Cristina Kirchner (2007-2015) por encobrimento de terroristas. 

Ele estava investigando o atentado com um caminhão-bomba contra a Associação Mutual Israelita Argentina (Amia). organização judia de Buenos Aires, no qual morreram 85 pessoas em 1994. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.