Peritos contradizem capitão de navio italiano

Especialistas convocados para as audiências preliminares do naufrágio do cruzeiro Costa Concordia negaram que o capitão Francesco Schettino tenha realizado uma manobra náutica decisiva para salvar a vida dos 4,2 mil passageiros, em janeiro. O comandante defendeu, na quarta-feira, que graças a sua perícia evitou que a embarcação afundasse e a tragédia fosse maior. As audiências estabelecerão se um processo será aberto contra Schettino, acusado de homicídio, naufrágio e abandono do navio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.