Peritos descartam ato terrorista em queda de avião na China

Peritos enviados de Pequim estão investigando a causa da queda do avião de passageiros Bombardier CRJ-200, da China Eastern Airlines, domingo, num lago congelado no norte da China, que causou a morte de 54 pessoas. A queda ocorreu depois de uma aparente explosão, mas não há evidências de ato terrorista, segundo a agência de notícias chinesa Xinhua.Testemunhas disseram que a nave, construída no Canadá, começou a balançar e, em seguida, houve uma forte explosão. Fragmentos do avião em chamas caíram no lago do parque Nanhai. Foi a pior tragédia aérea na China nos últimos dois anos.O governo chinês suspendeu os vôos de todos os aviões CJR-200 logo após a tragédia. O avião tinha decolado da cidade de Baotou, no norte da China, e destinava-se a Xangai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.