Peritos holandeses investigam queda de avião

Especialistas forenses trabalham para identificar os mortos no acidente com um avião da Turkish Airlines que deixou nove mortos na Holanda. Ao mesmo tempo, investigadores tentam mapear a exata localização dos destroços, para apontar a causa da queda. Havia 40 investigadores no local do acidente hoje, e os dados do voo e das conversas entre os pilotos e os operadores estão sendo analisados em Paris. Uma porta-voz da Autoridade de Segurança Holandesa apontou que um primeiro balanço sobre o que ocorreu, de acordo com os dados da caixa preta, será divulgado até quarta-feira.Cinco turcos - incluindo os dois pilotos - e quatro norte-americanos foram mortos quando o Boeing 737-800 foi lançado em um campo na manhã de quarta-feira, partindo-se em três partes. Dois dos mortos norte-americanos eram empregados da Boeing. Ontem, 63 sobreviventes permaneciam hospitalizados, incluindo seis em estado grave. Hoje ainda não foram divulgadas informações sobre os feridos.O chefe da Turkish Airlines, Temel Kotil, disse que o capitão, Hasan Tahsin Arisan, era um experiente ex-piloto da força aérea turca. A companhia também negou que a aeronave tenha tido problemas técnicos dias antes do acidente. A porta-voz da autoridade aeroportuária holandesa apontou que uma falha no motor era uma das hipóteses para o acidente. As outras iam de problemas com o clima - com nuvens e garoa no momento -, perda de combustível, falha humana ou mesmo alguma colisão com um pássaro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.