Peronismo já ameaça poderes de Cavallo

O Partido Justicialista, maioria no Congresso a partir de 10 de dezembro, já começou a demonstrar a força que ganhou com as eleições de domingo ao ameaçar a derrubada dos poderes especiais concedidos ao ministro Domingo Cavallo. O peronista Oscar Lamberto disse que a primeira medida será revogar a lei de poderes delegados, aprovada em março deste ano, quando Cavallo assumiu o Ministério de Economia. Lamberto justificou a ameaça dizendo que a realidade não é neutra para que haja poderes delegados. ?Se pode delegar a um governo com o qual se está de acordo com o que faz, mas este não é o caso?, argumentou o senador reeleito. Os números finais da apuração dão um total de 116 cadeiras para o Partido Justicialista, na Câmara, enquanto que a Aliança terá somente 87 deputados. A oposição de esquerda, ARI (Ação por uma República de Iguais) terá 17 deputados, enquanto que o partido de Cavallo, Ação pela República, obteve somente 7 vagas. Outras 30 cadeiras serão repartidas entre os pequenos partidos provinciais. No Senado, o PJ ficará com 39 vagas, a Aliança com 26 e outros partidos terão sete.

Agencia Estado,

16 Outubro 2001 | 10h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.