AP
AP

Perto das eleições, Israel planeja novas casas na Cisjordânia

Grupo que fiscaliza as políticas de assentamentos no país denunciou planos do governo de ofertar novas 450 moradias

O Estado de S. Paulo

30 de janeiro de 2015 | 19h21

JERUSALÉM - Há quase dois meses das eleições gerais, o governo israelense resolveu anunciar a criação de mais 450 casas no território palestino da Cisjordânia, denunciou hoje um grupo que fiscaliza as políticas de assentamentos no país.

De acordo com o Peace Now, a nova leva faz parte de um antigo grupo de permissões não construídas. O governo israelense age para "criar fatos" antes das eleições, que acontecem em março, afirma um dos ativistas do grupo, Hagit Ofran.

Israel capturou a Cisjordânia da Jordânia em 1967, durante a Guerra dos Seis Dias. Os palestinos reivindicam o território para um futuro estado Palestino. A comunidade internacional considera todos os assentamentos nesse território ilegais.

"Com a escalada dos assentamentos, o governo israelense expõe mais uma vez a sua intenção de criar uma 'Grande Israel' às custas da paz", declarou o oficial palestino Hanan Ashrawi.

Muitos israelenses se opõem à retirada da Cisjordânia por causa de sua importância religiosa e histórica para muitos judeus. Outros afirmam que a retirada colocaria o país em risco. Israel se retirou de Gaza em 2005, abrindo espaço para a chegada e tomada de poder pelo Hamas. Desde então, o grupo vem usando o território para fazer ataques aos israelenses. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelCisjordâniaassentamentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.