Peru concede asilo a Manuel Rosales

Prefeito de Maracaibo é o terceiro adversário de Chávez a se refugiar no país; chanceler peruano teme atrito com Caracas

REUTERS, AFP E AP, O Estadao de S.Paulo

28 de abril de 2009 | 00h00

O Peru concedeu ontem asilo político ao líder opositor venezuelano Manuel Rosales. O anúncio foi feito pelo chanceler peruano, José Antonio García Belaúnde."O governo peruano, fiel à sua tradição histórica e a seu compromisso com o direito internacional, decidiu outorgar asilo a Rosales", afirmou Belaúnde, numa reunião com a Comissão de Relações Exteriores do Senado do Peru. "Espero que essa decisão não altere as relações entre o Peru e a Venezuela", completou, pouco depois, em entrevista a jornalistas. Rosales é o terceiro adversário do presidente Hugo Chávez que se refugia no Peru. Em 2007, receberam asilo o dirigente sindical Carlos Ortega e o ex-governador do Estado de Yaracuy Eduardo Lapi.Prefeito da cidade de Maracaibo, a segunda maior cidade da Venezuela, Rosales é acusado de enriquecer de forma ilícita no período em que foi governador do Estado petrolífero de Zulia. Ele se diz inocente e vítima de uma perseguição política por parte de Chávez. ''TRIUNFO''Rosales entrou no Peru no dia 4 como turista e pediu asilo na terça-feira. Um dia depois, um tribunal venezuelano emitiu uma ordem de prisão contra ele e pediu à Interpol que o capturasse. Até agora, porém, tudo que a polícia internacional fez foi registrar que o prefeito é "procurado" por Caracas.O advogado do opositor venezuelano no Peru, Javier Valle Roestra, qualificou a concessão de asilo como "um grande triunfo democrático". Na sexta-feira, o próprio Rosales prestou depoimento por meia hora numa comissão especial da chancelaria peruana e se comprometeu a não "fazer política" no Peru. Na quarta-feira, em Lima, ele fez um discurso duro, no qual se referiu a Chávez como um "ditador" que "pisoteia a Constituição venezuelana", e foi repreendido por Belaúnde. Temendo que tais declarações prejudicassem as relações com a Venezuela, o chanceler peruano lembrou a Rosales que quem recebe asilo não pode fazer proselitismo político. "Esperamos que o governo do Peru cumpra as leis internacionais e capture e devolva à Venezuela o delinquente Manuel Rosales, que está sendo processado por delitos graves ao patrimônio", disse ontem o chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, pouco antes de o governo de Lima confirmar a concessão de asilo a Rosales.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.