Peru denunciará advogado de líder do Sendero Luminoso

O governo do Peru denunciará o advogado do líder do grupo Sendero Luminoso, Abimael Guzmán, por apologia ao terrorismo, informou na noite de ontem o ministro da Justiça, Aurelio Pastor. "Amanhã (hoje), o procurador do Ministério da Justiça apresentará uma denúncia penal pelo delito de apologia ao terrorismo contra Alfredo Crespo, advogado de Abimael Guzmán, porque suas palavras configuram o delito", disse o ministro.

AE-AP, Agencia Estado

14 de setembro de 2009 | 15h33

Não foram especificadas quais frases proferidas seriam ilegais. O procurador antiterrorista, Julio Galindo, confirmou que a denúncia será feita. Segundo Galindo, parte da denúncia é sustentada em declarações do advogado na noite de sexta-feira, durante apresentação de um livro escrito pelo líder do Sendero Luminoso. Guzmán cumpre pena de prisão perpétua em uma base militar.

Também será denunciada Carmen Hualla Muriel, advogada de outras pessoas condenadas por terrorismo no país. Ela leu durante a apresentação do livro uma carta de Elena Iparraguirre, companheira de Guzmán e também do Sendero. Para o advogado, a denúncia tem como fim "terminar com a liberdade de expressão" no país. O ministro também pedirá explicações sobre como se financiou a publicação do livro de Guzmán e como foram obtidos os documentos para sua elaboração.

O líder do Sendero Luminoso foi condenado à prisão perpétua em um tribunal militar em 1992. Ele foi processado novamente, em foro civil, e sentenciado à mesma pena em 2006. A escalada de violência durante a luta do Sendero Luminoso e seus confrontos com as Forças Armadas deixaram cerca de 70 mil mortos e desaparecidos no Peru, de acordo com a Comissão de Verdade e Reconciliação. Apesar de ter perdido força, o grupo ainda atua na selva no centro do país.

Tudo o que sabemos sobre:
PerudenúnciaadvogadoSendero Luminoso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.