Peru e Equador pedem fim pacífico da crise na Bolívia

Os presidentes de Peru e Equador pediram hoje um fim pacífico dos protestos na Bolívia, entre partidários e opositores do presidente Evo Morales. Durante entrevista coletiva no palácio presidencial em Lima, o presidente Alan García disse que o Peru respeita a democracia boliviana. "Nós expressamos nossa natural rejeição da violência, nossa rejeição de quaisquer forças separatistas que fragmentem a integridade das nações, e pedimos o diálogo como a única forma civilizada de superar controvérsias", disse García.O líder peruano estava ao lado do presidente do Equador, Rafael Correa, em visita oficial de um dia. Correa pediu que a Bolívia "encontre uma solução para a crise assim que possível. Grupos contrários a Morales tomaram nesta semana instalações petrolíferas e escritórios do governo, durante as manifestações. Houve também choques entre opositores e partidários do presidente. Pelo menos oito pessoas morreram em confrontos no Departamento (Estado) de Pando, no norte boliviano. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.