Peru: Governo nega perdão humanitário a Fujimori

O governo do Peru declarou nesta sexta-feira que descarta a possibilidade de conceder perdão humanitário ao ex-presidente Alberto Fujimori. Em 2009, um tribunal condenou Fujimori a 25 anos de prisão por sua participação em atos de violação dos direitos humanos relacionados a atividades de um esquadrão da morte.

AE, Agência Estado

07 de junho de 2013 | 18h42

Os tribunais também o declararam culpado por uma série de outras acusações, dentre elas fraude, o que resultou em novas sentenças de prisão. Fujimori, que tem 74 anos e sofre de câncer na boca, entrou com pedido de perdão, mas uma comissão do governo fez recomendações contrárias a qualquer tipo de ação neste sentido.

"Há uma série de fatores que não permitem que o presidente Ollanta Humala conceda o perdão humanitário.. O presidente decidiu não exercer seu poder de concessão de perdão humanitário", declarou o ministro da Justiça, Daniel Figallo, em coletivas de imprensa.

Fujimori era um acadêmico pouco conhecido quando chegou ao poder em 1990. Em 2000, quando seu governo começou a ruir, ele pediu asilo no Japão. Posteriormente, seguiu para o Chile, de onde foi extraditado para o Peru. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
PeruFujimoriperdão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.