Peru: ministros da Defesa e Interior renunciam

Os ministros da Defesa e do Interior do Peru, Alberto Otárola e Daniel Lozada, renunciaram nesta quinta-feira aos cargos, com a crise política que se seguiu após a guerrilha do Sendero Luminoso sequestrar 36 trabalhadores na província de La Convención em Cuzco. Os dois ministros ficaram sob críticas por causa da operação para libertar os trabalhadores, na qual foram mortos oito policiais e militares. O Sendero, que libertou os trabalhadores após alguns dias, conseguiu derrubar helicópteros da polícia e emboscou soldados. Nesta semana, o Sendero matou mais um soldado em combate nos vales dos rios Apurímac e Ene.

AE, Agência Estado

10 Maio 2012 | 18h53

Os ministros enfrentaram pedidos crescentes de renúncia e no sábado teriam que comparecer ao Parlamento onde seriam submetidos a um voto de confiança. Os dois foram indicados para os cargos em novembro passado pelo presidente Ollanta Humala.

Poderosa na década de 1980, a guerrilha do Sendero foi desmantelada a partir de 1992 e seus remanescentes fugiram para regiões remotas do Peru, principalmente lugares onde existe cultivo de coca, como os vales dos rios Apurímac e Ene. O sequestro dos 36 trabalhadores foi a maior ação do Sendero desde 2003, quando 70 trabalhadores da empresa argentina Techint foram sequestrados em outro campo de extração de gás natural.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.