Paolo Aguilar/Efe
Paolo Aguilar/Efe

Peru não pode ser abalado por bolsas, diz Humala

Presidente eleito afirma que vai lutar para reduzir desigualdades, fome e analfabetismo no país

BBC

08 de junho de 2011 | 16h33

LIMA - O presidente eleito do Peru, Ollanta Humala, afirmou em entrevista à BBC nesta quarta-feira, 8, que seu país tem uma economia "real, sólida" e que não pode ser abalado pelas bolsas de valores. Após a vitória de Humala nas eleições do último domingo, o mercado de ações de Lima registrou uma das maiores quedas de sua história.

 

Veja também:

blog No blog: Gabeira comenta os efeitos na economia
video TV Estadão: Gabeira analisa a disputa
especialQuem é quem: O raio-X dos presidenciáveis

O líder afirmou que o país vem crescendo entre 7% e 8% ao ano nos últimos oito a dez anos. Ele também antecipou os temas que devem nortear o seu mandato. "Acredito que vamos trabalhar na integração latino-americana, afora questões ideológicas, porque relações internacionais não são baseadas em ideologia, mas em interesses nacionais", disse o peruano.

Para ele, no entanto, os grandes problemas a serem resolvidos são a desigualdade, o tráfico de drogas, a corrupção e o analfabetismo. "A desnutrição infantil chega a 60% nas zonas rurais do Peru. Esses são os problemas que mais nos preocupam."

Humala disse ainda que está em busca de um governo de coalizão. "Para nós, a campanha acabou. Agora temos que trabalhar todos juntos, todos os peruanos."

 

O nacionalista venceu Keiko Fujimori nas eleições do último domingo. Durante a campanha, Humala afirmou que manterá as políticas que conferiram o desenvolvimento dos últimos anos ao Peru, mas que incluiria políticas sociais e de inclusão em seu programa de governo.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.