Peru processa universidade dos EUA por relíquias incas

O Peru está processando a Universidade Yale com a intenção de recuperar milhares de relíquias incas escavadas por um explorador norte-americano em Machu Picchu. O pesquisador Hiram Bingham levou milhares de cerâmicas, têxteis e ossos para a universidade em New Haven, no Estado norte-americano de Connecticut, após redescobrir a área, em 1911. O processo foi aberto em 5 de dezembro, em uma corte federal em Washington. A região é o principal ponto turístico peruano. O país buscou retomar a posse dos artefatos em 2006, porém um acordo para dividi-los chegou a um impasse no ano passado. Representantes de Yale se encontraram com o ministro de Relações Exteriores do Peru em setembro, mas não chegaram a um acordo. Lima afirma que a universidade tem mais de 40 mil artefatos de Machu Picchu. O texto argumenta que os artefatos são centrais para a cultura e a herança peruana. Também afirma que Yale mantém os itens de forma imprópria e ilegal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.