Peru quer mudar sentença contra massacre de presos

O Peru apresentará uma reivindicação de interpretação na Corte Interamericana de Direitos Humanos para tentar modificar a sentença que condenou o Estado peruano pela morte de 41 presos acusados de terrorismo em um presídio de Lima.O novo agente do Peru na Corte, Luis Alberto Salgado, afirmou à "Rádio Programas del Perú" (RPP) que fará "o possível para que a essa sentença seja modificada em relação à modalidade do cumprimento, ao sentido, ao alcance e à finalidade".Em dezembro do ano passado, a Corte condenou o Estado peruano pelo massacre de 41 presos ocorrido em 1992, durante o regime de Alberto Fujimori (1990-2000), e solicitou o pagamento de indenizações de US$ 20 milhões, além da realização de um ato público em desagravo às vítimas.A decisão judicial provocou uma árdua polêmica entre o Governo, que a considerou "degradante", e os defensores dos direitos humanos, que acreditam que a resolução evidência "a violação dos direitos à vida e à integridade dos internos".Nesse sentido, Salgado afirmou que o Peru argumentará em sua reivindicação "a grave decomposição institucional do estado" durante o regime de Fujimori, que dois anos após assumir o poder dissolveu o Congresso e governou em meio a denúncias de violações aos direitos humanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.