Peru recebe pedido de asilo de opositor a Chávez

O chefe do Conselho de Ministros peruano, Javier Velásquez, disse ontem que seu governo "analisará o pedido" de asilo político apresentado pelo ex-governador do Estado venezuelano de Aragua, Didalco Bolívar, que estaria em Lima há uma semana fugindo da perseguição do presidente da Venezuela, Hugo Chávez.O chanceler peruano, José Antonio García Belaúnde, entretanto, disse ontem à noite não ter recebido nenhuma solicitação de asilo de Bolívar. O jornal peruano El Comercio afirma que "mais de 12 venezuelanos estão no Peru para pedir asilo".Bolívar foi um ativo militante chavista até 2007, quando passou para a oposição e começou a ser acusado de corrupção e fraude em uma licitação pública envolvendo a compra de equipamentos médicos.Em abril, o Peru concedeu asilo político ao principal opositor de Chávez, o ex-governador do Estado de Zulia, Manuel Rosales, abalando as relações diplomáticas entre os dois países.Além de Rosales, outros dois opositores chavistas receberam asilo em Lima.NACIONALIZAÇÃOOntem, o grupo argentino Techint disse que Caracas "assumiu unilateralmente o controle operacional dos ativos e demais bens" de sua siderúrgica Matesi. O grupo anunciou que já negocia os "termos justos" para que a siderúrgica - que fornece tubos para a exploração de petróleo na Venezuela - seja transferida para o governo Chávez. Também ontem, o controle da americana Cargill foi devolvido depois de a companhia ter passado três meses sob intervenção estatal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.