EFE/CRISTIAN HERNÁNDEZ
EFE/CRISTIAN HERNÁNDEZ

Peru retira embaixador da Venezuela após Supremo assumir funções do Parlamento

Em comunicado, a chancelaria peruana declarou que julga ter havido uma ruptura da ordem democrática no país

O Estado de S.Paulo

30 de março de 2017 | 15h28

LIMA - O governo do Peru anunciou nesta quinta-feira a retirada de seu embaixador em Caracas, após o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) assumir as funções da Assembleia Nacional Venezuelana, por julgá-la em desacato. 

Em comunicado, a chancelaria peruana declarou que julga ter havido uma ruptura da ordem democrática no país. "Diante da gravidade dos fatos, tomamos essa decisão", diz o texto. 

"Advertimos que enquanto persistir a situação de desacato e de invalidez das atuações da Assembleia Nacional, esta Sala Constitucional garantirá que as competências parlamentares sejam exercidas diretamente por esta sala ou pelo órgão que ela disponha para cuidar do estado de direito", indicou uma decisão publicada pelo TSJ na noite de quarta-feira.

A Mesa da Unidade Democrática (MUD), principal coalizão de oposição do país, criticou a decisão do TJS nesta quinta-feira e vários de seus membros acusam o presidente Nicolás Maduro de agir como um ditador. "Esta sentença inconstitucional, que nós rejeitamos, é mais um passo no desmantelamento da democracia venezuelana", disse a oposição em comunicado. "Este governo está morrendo e, por este motivo, está recorrendo a este tipo de medida desesperada."/ AFP

Tudo o que sabemos sobre:
LIMAPeruCaracas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.