Peru suspende erradicação de coca em área com protestos

O governo peruano suspendeu a erradicação da coca, matéria-prima da cocaína, em uma área do norte do país afetada por protestos dos produtores, disse o ministro da Agricultura, Juan José Salazar, na quinta-feira. Ele afirmou ao Canal N da TV local que assinou um acordo com os produtores de coca para suspender a erradicação durante pelo menos dez dias em Tocache, um tradicional alvo dos programas de erradicação apoiados pelos EUA. O Peru é o segundo maior produtor de cocaína, atrás da Colômbia. Os EUA destinaram quase meio bilhão de dólares para o combate ao narcotráfico no país nos últimos cinco anos. Pelo acordo, o Peru suspenderá a erradicação da coca em cerca de 7.000 hectares, enquanto o governo mapeia os terrenos legalmente autorizados a terem plantações de coca para usos aprovados, segundo um porta-voz do Ministério da Agricultura. O acordo especifica que os produtores devem suspender o bloqueio que armaram numa rodovia em Tocache, cerca de 600 quilômetros ao norte de Lima, disse Salazar em entrevista coletiva na noite de quinta-feira. Ele lembrou que há uma "comoção" que chega a ameaçar a vida das pessoas na região. A imprensa diz ter havido uma greve geral na quarta e quintas-feiras em Tocache. A TV exibiu uma passeata de produtores de coca. Na entrevista, o primeiro-ministro Jorge del Castillo disse apoiar a suspensão da erradicação, mas afirmou que não se trata de um revés no programa do governo de combate às drogas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.