Peru usará resoluções contra Fujimori para tentar extradição

O Peru enviará ao Chile duas recentes resoluções da Corte Interamericana de Direitos Humanos (Cidh) como provas contra o ex-presidente Alberto Fujimori, para tentar viabilizar a extradição do ex-líder peruano pelos chilenos.O Peru quer a extradição de Fujimori por acusações de corrupção e violação aos direitos humanos. O Chile deve definir na quinta-feira se retoma uma investigação sobre Fujimori antes de emitir sua primeira sentença no processo.Omar Chehade, diretor da Unidade de Extradições do Peru, disse nesta quarta-feira, 27, que as duas sentenças emitidas na semana passada pela Cidh, com sede na Costa Rica, responsabilizam o Estado peruano pela morte de nove universitários e um professor, assim como de 41 presos de uma casa de detenção em 1992, quando Fujimori era presidente.Ele disse à Reuters que as duas sentenças serão enviadas a Santiago se as investigações forem retomadas, e que, do contrário, as resoluções serão apresentadas junto com os informes finais, antes de uma decisão da Justiça chilena.Advogados de Fujimori conseguiram paralisar o processo pedindo a inclusão do chamado "informe Kroll" sobre supostas contas bancárias do ex-presidente no exterior.Fujimori, de 68 anos, diz ser inocente das 12 acusações que lhe são imputadas, inclusive as chamadas chacinas de La Cantuta e dos Barrios Altos, além de acusações de enriquecimento ilícito. O governo de Fujimori (1990-2000) foi marcado por uma linha-dura contra a guerrilha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.