Peru vai dedicar US$ 125 milhões a plano contra a pobreza

O plano de desenvolvimento social "Juntos", para combater a pobreza no Peru, terá um orçamento de US$ 125 milhões em 2007 e beneficiará 260 mil famílias, afirmou o presidente-executivo do programa, Alfonso Velásquez nesta terça-feira. O programa "Juntos", que começou em setembro de 2005, tomou como modelos o "Bolsa Família" do Brasil, e o "Oportunidades" do México. Ele funciona nos departamentos de Cajamarca, Libertad, Ancash, Huanuco, Junín, Ayacucho, Apurimac, Huancavelica e Puno. As famílias beneficiadas têm salários entre US$ 2 e 30 e crianças de até 14 anos. Suas mães recebem 100 sóis (US$ 30) para a educação, alimentação e saúde. As que não cumprem os acordos para cuidar de suas crianças sofrem uma suspensão de três meses. Velasquez afirmou que o plano fará uma avaliação dos limites que determinam as famílias beneficiadas e poderá ser ampliado a pessoas da terceira idade que vivem na pobreza extrema. "Queremos ter uma equipe de trabalho que realize uma intervenção mais direta para atender às necessidades das zonas beneficiárias, como por exemplo, generalizar o uso do cloro onde não há água potável", ressaltou. Ao longo de 2007, o objetivo principal será reduzir a evasão escolar, aumentar a extensão do ensino médio e iniciar o programa de cursos técnicos para exportação agrícola. Paradoxalmente, na área beneficiada, a andina, ficam as principais mineradoras de ouro, prata, cobre e estanho do país.

Agencia Estado,

14 Novembro 2006 | 03h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.