Peru vende avião presidencial para erguer hospital infantil

O governo peruano autorizou, nesta terça-feira, 20, a venda do avião presidencial, e disse que o dinheiro arrecadado será usado para a construção de um hospital para crianças, uma medida considerada populista pela oposição. O presidente Alan García criticava, desde antes de ser eleito, em junho passado, o uso supostamente indevido da aeronave por seu antecessor, Alejandro Toledo, que viajava constantemente ao interior do país e ao exterior, com grandes comitivas. "Coloca-se à venda imediata o avião presidencial por meio de leilão público", afirmou um decreto publicado no jornal oficial El Peruano. O avião presidencial foi adquirido por US$ 25 milhões em 1995, durante a gestão do ex-presidente Alberto Fujimori. A compra foi investigada pelo Congresso e pela justiça, por supostas irregularidades. "Desde a aquisição fizeram uso indevido, abusivo e pessoal da aeronave", acrescentou o decreto. García não utilizou o avião presidencial desde que assumiu o cargo, tendo optado por vôos comerciais para suas viagens oficiais ao exterior, como parte da política de austeridade introduzida pelo governo. "O povo está consciente de como esse avião foi usado. Como pode ser populista vender um avião de preço elevado que serve a apenas uma pessoa para construir um hospital para 680.000 crianças", disse ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.