Peruanos anunciam greve contra mineradora de Combayo

A população peruana de Combayo, que enfrenta a mineradora Yanacocha, rompeu o diálogo com a empresa e anunciou uma greve, segundo afirmou neste domingo a defensoria local.Um porta-voz da defensoria afirmou esperar "que a greve marcada para esta segunda-feira não acabe com a vontade de diálogo entre as duas partes".Desde o início de agosto, os moradores de Combayo protestam contra a mineradora pois consideram que as atividades da empresa causaram o desaparecimento de vários mananciais e a contaminação da água consumida pela população local.No dia 2 de agosto, o camponês Isidro Llanos Chevarría foi atingido por duas balas no coração e uma na perna direita, o que causou sua morte. Chevarría foi morto durante um enfrentamento entre a polícia, a empresa de segurança da empresa e moradores.O sacerdote Marco Arana, um dos interlocutores que protestam contra a Yanacocha, afirmou que as condições dos moradores para iniciar o diálogo "é que equipe de assessores esteja presente e que cessem as ações em Carachugo", onde a mineira explora mananciais e lagos em busca de ou.Os pedidos feitos à empresa incluem uma solução ao problema da escassez e da contaminação da água, que aumente a inversão social, que gere mais empregos aos moradores locais e que se esclareça o assassinato de Chevarría.O presidente do Comitê de Defesa de Combayo, Samuel Sánchez, declarou a imprensa de Cajamarca que se sente "atropelada por Yanacocha" e que se não chegaram a nenhum acordo a população vai lutar "para a retirada" da empresa do local."Se eles querem diálogo, pedimos que seja em Combayo, em audiência pública, senão iremos tomar nossas medidas de luta. Convido os jornalistas que conheçam como eles tratam nossas águas, lagoas e nosso meio ambiente", afirmou o prefeito de Combayo, Lúcio Llanos.A empresa Yanococha informou que é a favor do diálogo com a população e as autoridades, e que a defensoria seja mediadora entre as partes. A empresa mineradora conta com 8 mil funcionários e detém 25% do PIB da região de Cajamarca, uma das mais pobres do Peru.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.